fbpx

Guia para importadores e exportadores iniciantes no processo de fechamento de câmbio

Para empresas que estão envolvidas em negócios internacionais e realizam atividades de importação e exportação, o processo de fechamento de câmbio é uma etapa inevitável que pode ser bem complexa, principalmente para quem está começando.

Independente se você é um importador que compra mercadorias/serviços de fornecedores estrangeiros ou um exportador dessas mercadorias/serviços, entender como o câmbio funciona e todos os seus detalhes é fundamental para conseguir ter sucesso nos negócios internacionais e manter a sua empresa saudável.

Pensando nisso e sabendo que esse pode ser um tema bem difícil para quem está começando agora, achamos necessário montar esse guia para importadores e exportadores iniciantes no processo de fechamento de câmbio.

Nas próximas linhas, vamos adentrar em diversos aspectos que envolvem esse processo, incluindo como ele funciona na prática, qual a diferença entre os chamados câmbio turísticos e câmbio comercial.

Bem como o que você precisa acompanhar no mercado para realizar um processo de fechamento de câmbio eficiente. Acompanhe!

Explicando os fatores do processo de fechamento de câmbio

O processo de fechamento de câmbio é o um dos principais pilares de qualquer transação internacional, seja para importadores ou exportadores de bens ou serviços.

Basicamente, a lógica por trás do fechamento de câmbio é bem simples: para que uma empresa possa comprar mercadorias de fornecedores estrangeiros ou vender produtos para clientes que estão localizados em outros países será necessário, em algum momento, realizar a conversão das moedas, que chamamos de \”fechamento de câmbio\”.

Mas como funciona esse processo na prática e quais são os documentos necessários? É sobre isso que falaremos agora!

Documentos necessários para contratar moeda estrangeira

Antes de realizar uma transação de câmbio, você deverá reunir toda a documentação sobre o negócio que está sendo feito.

Isso inclui, por exemplo, documentos como o contrato de câmbio que formaliza a operação e a declaração de importação/exportação, que fornece todos os mínimos detalhes sobre os produtos envolvidos no processo de compra e venda, documentos de embarque, documento de identificação e autorização bancária.

Prazos de liquidação: D0, D1 e D2

Outro ponto importante quando falamos em processos de fechamento de câmbio e transações internacionais é o prazo de liquidação (D0, D1 e D2), que determina qual o prazo para o cumprimento das obrigações financeiras:

  • D0 (Dia da Negociação): o prazo D0 é o dia em que as partes definem a transação de câmbio;
  • D1 (Dia Seguinte): o prazo D1 é o primeiro dia útil após o Dia da Negociação e o dia em que as obrigações financeiras começam a se cumprir,
  • D2 (Dois Dias Úteis): o prazo D2 é o segundo dia útil após o Dia da Negociação e geralmente é o prazo final para o cumprimento de todas as obrigações financeiras.

Conhecer e ser capaz de gerenciar adequadamente os prazos de liquidação é muito importante para conseguir ter sucesso nas operações internacionais.

As empresas precisam adotar um planejamento cuidadoso dessa etapa, fazer todo o acompanhamento e, em alguns casos, podem partir para a utilização de instrumentos financeiros diferentes, como os contratos a termo.

Taxas e tarifas que compõem o valor do contrato de câmbio

O valor que você paga ou recebe quando precisa realizar uma transação de câmbio não é apenas a taxa de câmbio atual, aquela que aparece no Google para você.

Para fazer a conversão das moedas, as instituições cobram outras taxas e tarifas, que tornam toda essa operação um pouco mais cara. Por isso, é indispensável ter conhecimento sobre elas para evitar endividamentos e problemas financeiros.

De modo geral, algumas das principais taxas que podem estar inclusas durante uma conversão de câmbio são:

  • Spread cambial (diferença entre a taxa de câmbio de compra (bid) e a taxa de câmbio de venda (ask) de uma moeda);
  • Tarifas bancárias (taxas de serviço, de transferência internacional, etc.);
  • Comissões;
  • Impostos e taxas governamentais (em alguns países);
  • Custos de transação SWIFT,
  • Taxas de corretagem.

Considerando o Valor Efetivo Total (VET)

O Valor Efetivo Total (VET) é um conceito que permite que você saiba qual é o custo real da sua transação, levando em consideração todas as taxas e tarifas que estão envolvidas.

Por isso, o VET é muito importante e útil para fazer comparações entre diferentes ofertas de câmbio e tomar a decisão mais vantajosa para o seu negócio.

O cálculo do VET pode ser feito somando todas as taxas, tarifas e encargos ao valor da moeda estrangeira que está em negociação.

Isso inclui o spread cambial, as tarifas bancárias, as comissões, os impostos e qualquer outra despesa relacionada à transação.

SWIFT: Comunicando e transferindo o dinheiro

O SWIFT é um sistema global de mensagens financeiras central nas transações internacionais, incluindo o processo de fechamento de câmbio.

Esse sistema fornece uma plataforma que permite realizar troca de informações financeiras, mensagens e instruções entre bancos, corretoras, instituições de câmbio e financeiras.

Basicamente, ele opera mediante mensagens SWIFT, que permite que as instituições possam realizar uma variedade de transações, incluindo transferências de fundos, confirmações de pagamento, ordens de câmbio e muito mais.

No fechamento de câmbio, o SWIFT se torna indispensável para confirmar e comunicar as transações de câmbio entre si e com seus clientes, para rotear a transação de um banco para outro e para relatar transações financeiras às autoridades.

Por isso, ele faz parte de todo esse processo.

Diferença entre Câmbio Turismo e Câmbio Comercial

Além de compreender alguns dos principais fatores que envolvem qualquer processo de fechamento de câmbio, também é essencial compreender sobre o câmbio em si.

Atualmente, existem dois principais tipos de câmbio comercializados no mercado: o câmbio turismo e o câmbio comercial. Ao contrário do que muitos pensam, eles não são o mesmo e nem possuem o mesmo valor.

O câmbio comercial é usado, principalmente, para transações comerciais internacionais, como importações e exportações.

Dessa forma, toda empresa que realiza negócios em moedas estrangeiras, deve usar o câmbio comercial para fazer os pagamentos ou para receber pagamentos.

Nesse cenário, as taxas de câmbio costumam ser as mais competitivas e próximas às taxas de mercado. É necessário fornecer uma documentação completa para conseguir efetivar a troca cambial usando o câmbio comercial.

Por outro lado, o câmbio turismo é utilizado para fins de viagem ao exterior, como o próprio nome sugere. É aquele câmbio que você troca diretamente nas casas de câmbio, sem muita burocracia.

De modo geral, o câmbio turismo é bem menos vantajoso, pois possui taxas mais altas. No final, a transação acaba ficando bem mais cara do que ficaria se a troca fosse feita pelo câmbio comercial.

Câmbio físico e câmbio digital: tem diferença?

Além de entender as diferenças entre câmbio turismo e câmbio comercial, também é importante mencionar as modalidades de câmbio físico e digital.

Basicamente, a diferença entre eles é como a transação é feita. Contudo, o câmbio digital tem ganhado mais destaque nos últimos anos por conta da sua maior conveniência.

Não há muitas diferenças relacionadas ao valor em si, mas o câmbio digital é muito mais cômodo e eficiente. Afinal, você pode fazer toda a transação diretamente do seu espaço.

O que acompanhar no mercado de câmbio para operações mais vantajosas

Quando falamos em operações de importação e exportação, com fechamento de câmbio, a volatilidade dessa taxa pode ter um impacto muito significativo nos resultados financeiros da empresa.

Por isso, para que você seja capaz de tomar as melhores decisões, saber qual é o melhor momento e maximizar as suas transações, é indispensável acompanhar alguns elementos do mercado de câmbio, incluindo:

Movimentação das taxas de câmbio

As taxas de câmbio flutuam constantemente. Assim, é essencial acompanhá-las de perto para entender o valor da moeda estrangeira e saber qual é o melhor momento de formalizar a transação.

Tendências do longo prazo

Além das flutuações diárias, é importante observar as tendências de longo prazo das taxas de câmbio, para identificar movimentos que possam afetar as suas operações.

Indicadores econômicos

Acompanhe também indicadores econômicos relevantes para o fechamento de câmbio. Por exemplo: as variações nas taxas de juros, inflação, desemprego e crescimento do PIB, tanto no seu país, como nos países com os quais você faz negócio.

No final, ter a capacidade de monitorar e reagir às mudanças nas taxas de câmbio, é fundamental para ter sucesso nas operações de importação e exportação.

Isso vai ajudar não apenas a minimizar os riscos cambiais, mas também permite que você aproveite as oportunidades que surgem dentro desse mercado cambial.

Não se esqueça que o tipo de moeda que será transacionada está ligado diretamente com o país com o qual você está fazendo negócio. Aliás, eles podem solicitar que a transação seja feita na moeda deles e não com base no Dólar ou no Euro.

Além disso, muitos países da Europa, onde o Euro é dominante, preferem realizar transações internacionais em Euro, pois o seu valor é mais alto do que o valor do dólar.

Por isso, é muito importante estar atento a todos esses detalhes e negociar sempre que for possível.

Precisa de ajuda para fazer o fechamento de câmbio do seu negócio de forma eficiente? Conheça um pouco mais sobre nós!

O Nosso Site Utiliza Cookies

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias para que você tenha a melhor experiência em nosso site. Para saber mais acesse nossa página de Política de Privacidade e Cookies